Skip to content


Moradores da Suiá Missú retornam para o Posto da Mata e índios prometem Guerra

Mais de 200 índios estariam prontos para guerrear com os ex-moradores

O clima é tenso na região do Posto da Mata, antiga Suiá Missú agora decretada Reserva Indígena Marawatsede, cerca de 100 pessoas, antigos moradores da região que foram retirados das propriedades voltaram para a região, que eles dizem ser deles por direito.

De acordo com informações repassadas ao Agência da Notícia, os manifestantes chegaram à região do Posto da Mata por volta das 17:00hs deste domingo(21), e montaram um acampamento próximo a um corgo que fica a cerca de 500 metros do posto da Mata, às margens direita da BR158, sentido Ribeirão Cascalheira. Segundo informações, a intenção do manifesto é pedir reivindicações sobre a desapropriação, além disso os produtores dizem que a terra pertence a eles por direito. “Nós voltamos para o que é nosso, estamos de mãos limpas, não temos para onde ir, fomos tirados aqui de qualquer forma, e tudo que construímos está aqui, então vamos ficar, cobramos a presença dos representantes do Governo Estadual e Federal que prometeram que iam dar assistência, já se passaram quatro meses e continuamos na mesma miséria”, disse uma das manifestantes que tinha propriedade na região. “O mandado de desintrusão dizia que nós iriamos ter casa, terra e cadê tudo isso?”, questionou ele.

Ainda segundo os produtores acampados, a Polícia Federal e um representante da FUNAI estiveram no local, e pediram para que eles deixem a área, de acordo com o representante da FUNAI os índios Xavantes estariam prontos para a “Guerra”. “A Polícia Federal e a FUNAI estiveram aqui, e eles disseram para a gente sair daqui imediatamente, segundo eles, mais de 200 índios guerreiros estariam prontos para a guerra e já estariam se mobilizando para nos atacar. Mas é importante ressaltar que não queremos guerra, só queremos o nosso direito como os próprios índios querem”, disse um dos ex-moradores do Posto da Mata que está no acampamento.

De acordo com informações recebidas agora a pouco, na redação do Agência da Notícia, o manifesto não tem data definida para acabar e o clima é tenso. “Queremos chamar a atenção de todos os municípios da região do Norte Araguaia, estamos vivendo esse momento de terror e precisamos que algo seja feito imediatamente, Santa Cruz do Xingu está correndo risco, Confresa também está, Nova Nazaré vive um sério problema e nós estamos esperando o que? Precisamos de união precisamos barrar essas atrocidades que deixam um povo sofrido e trabalhador na lama”, desabafou um ex-morador da Suiá Missú. Em instantes qualquer informação, a equipe de jornalismo do Agência da Notícia já segue para a região para acompanhar de perto a situação.

De Agência da Notícia, 22/04/2013.

Os vídeos e os textos postados assinados por seus autores e os noticiosos e de outros sites lincados são de inteira responsabilidade dos mesmos não representando no todo ou em parte posicionamentos do Nação Mestiça. É autorizada a reprodução e publicação de textos deste site desde que citada a fonte. Mestiçofobia é racismo / Mestizofobia es racismo. Divulgue este site.

Posted in Apartheid no Brasil, Mestiçofobia | Desmestiçagem, Multiculturalismo, Português, Verwoerdismo | Indigenismo.

Tagged with , , , .


0 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam