Skip to content


Exército Brasileiro demolirá o que restou de Estrela do Araguaia – Kalixto Guimarães

Nenhuma cidade brasileira capital ou distrito, nenhuma comunidade, vila ou aldeia deste País, após o fim da ditadura militar, sofreu o drama da repressão e da violação dos direitos humanos com tamanha dose de violência e desumanidade da parte do poder político. Suiá-Missú e Estrela do Araguaia, não ira desaparecer como querem os seus algozes. O Brasil do futuro pode ate não ser mais o País continental de hoje, mas mesmo fracionado em dezenas de republiquetas de bananas, com o seu território vasto e riquíssimo repicado e dividido entre os piratas da globalização, a historia do povo que habitou e sonhou em construir neste cruzamento de rodovias uma bonita e promissora cidade, se perpetuara e será contada pelos seus descendentes. Contada como símbolo da resistência cidadã e da fé em Deus. A destruição de Estrela do Araguaia, representa um ato criminoso e hediondo contra os direitos humanos.
A mesma ferida e dor que os Xavante e todos os povos do mundo que um dia foram exilados de suas terras, são agora, cicatrizes sentimentais que os produtores e moradores da Suiá-Missu levaram pelo resto de suas vidas. A humilhação, a falta de respeito, o descumprimento da Constituição do País, do direito básico e fundamental do cidadão, o abuso do poder e da força política por meio do aparelhamento do Estado, são fatos que serão lembrados e contados pelas aldeias e vilas do Brasil afora. Um País gigantesco, de terras, rios e mares, ainda nunca pisados e nunca navegados é transformado em um campo de guerra étnica experimental sem precedentes. A Suiá-Missu gerou um grito de alerta que ainda, esta preso na garganta, para denunciar e impedir o que estar por vir.
O jogo da Guerra do Indigenato esta sendo preparado sutilmente no tabuleiro do azar pelos donos do mundo e as autoridades brasileiras, parecem ter sucumbidas ao xeque mate do generais do império da Águia. O mais absurdo de toda essa historia é que o nosso glorioso Exército Brasileiro, esta fazendo o papel de “morde que eu assopro.” Presente na força-tarefa, junto com a FUNAI, PF, PRF e Força Nacional, O Guardião da Nação Brasileira, com tropas do 58º Batalhão de Infantaria Motorizada e do Batalhão de Engenharia e Construções, 9º BEC, colabora com o despejo dos produtores da Suiá-Missú e moradores do Distrito de Estrela do Araguaia, numa vergonhosa operação que chamam de “desintrusão.” Com as ultimas famílias expulsas de suas propriedades e residências deixando o perímetro rural e urbana da Suiá-Missu, que foi confiscado na mão grande pela FUNAI, com permissão da turma dos Petralhas e da Justiça Federal, O EXÉRCITO BRASILEIRO, está pronto para demolir, destruir, extinguir e apagar de vez, ESTRELA DO ARAGUAIA.
Nenhuma cidade brasileira capital ou distrito, nenhuma comunidade, vila ou aldeia deste País, após o fim da ditadura militar, sofreu o drama da repressão e da violação dos direitos humanos com tamanha dose de violência e desumanidade da parte do poder político. Suiá-Missú e Estrela do Araguaia, não ira desaparecer como querem os seus algozes. O Brasil do futuro pode ate não ser mais o País continental de hoje, mas mesmo fracionado em dezenas de republiquetas de bananas, com o seu território vasto e riquíssimo repicado e dividido entre os piratas da globalização, a historia do povo que habitou e sonhou em construir neste cruzamento de rodovias uma bonita e promissora cidade, se perpetuara e será contada pelos seus descendentes. Contada como símbolo da resistência cidadã e da fé em Deus. A destruição de Estrela do Araguaia, representa um ato criminoso e hediondo contra os direitos humanos.
.
A mesma ferida e dor que os Xavante e todos os povos do mundo que um dia foram exilados de suas terras, são agora, cicatrizes sentimentais que os produtores e moradores da Suiá-Missu levaram pelo resto de suas vidas. A humilhação, a falta de respeito, o descumprimento da Constituição do País, do direito básico e fundamental do cidadão, o abuso do poder e da força política por meio do aparelhamento do Estado, são fatos que serão lembrados e contados pelas aldeias e vilas do Brasil afora. Um País gigantesco, de terras, rios e mares, ainda nunca pisados e nunca navegados é transformado em um campo de guerra étnica experimental sem precedentes. A Suiá-Missu gerou um grito de alerta que ainda, esta preso na garganta, para denunciar e impedir o que estar por vir.
.
O jogo da Guerra do Indigenato esta sendo preparado sutilmente no tabuleiro do azar pelos donos do mundo e as autoridades brasileiras, parecem ter sucumbidas ao xeque mate do generais do império da Águia. O mais absurdo de toda essa historia é que o nosso glorioso Exército Brasileiro, esta fazendo o papel de “morde que eu assopro.” Presente na força-tarefa, junto com a FUNAI, PF, PRF e Força Nacional, O Guardião da Nação Brasileira, com tropas do 58º Batalhão de Infantaria Motorizada e do Batalhão de Engenharia e Construções, 9º BEC, colabora com o despejo dos produtores da Suiá-Missú e moradores do Distrito de Estrela do Araguaia, numa vergonhosa operação que chamam de “desintrusão.” Com as ultimas famílias expulsas de suas propriedades e residências deixando o perímetro rural e urbana da Suiá-Missu, que foi confiscado na mão grande pela FUNAI, com permissão da turma dos Petralhas e da Justiça Federal, O EXÉRCITO BRASILEIRO, está pronto para demolir, destruir, extinguir e apagar de vez, ESTRELA DO ARAGUAIA.
.

Kalixto Guimarães/Correspondente do Araguaia

Enviando por postagem – datado 17/01/2013.

Os vídeos e os textos postados assinados por seus autores e os noticiosos e de outros sites lincados são de inteira responsabilidade dos mesmos não representando no todo ou em parte posicionamentos do Nação Mestiça. Mestiçofobia é racismo / Mestizofobia es racismo. Divulgue este site.

Posted in Artigos, Português.


0 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam