Skip to content


África do Sul: Mestiços de Durban afirmam ser marginalizados pelo governo

Comunidade mestiça de Durban manifestou preocupação por ter sido “desprezada” pelo governo provincial comandado pelo CNA [Congresso Nacional Africano, o partido preto no poder] e pela municipalidade de eThekwini quando se trata de desenvolvimento.
“Grupos de mestiços estão sendo marginalizadas quando se trata de concursos e outras oportunidades de negócios. A maneira em que as políticas governamentais de concurso e contratação são projetados visa manter determinados grupos de fora”, afirma Jenny Boysie. Ele falava durante uma conferência sobre coesão social e consultoria de serviço de entrega no Estádio Moses Mabhida, em Durban. A conferência contou com a presença de líderes comunitários e comunidades de Wentworth, Sydenham, Marrianridge, Greenwood Park e Newlands East, que são habitadas em grande parte por mestiços. Mas o membro do Conselho Executivo Mike Mabuyakhulu insistiu que os mestiços não estavam sendo discriminados against. Boysie disse que não houve desenvolvimento empresarial para os mestiços.
“O grupo (mestiços) está sendo excluído em programas SMME (pequeno, médio e micro empreendimento – Small, Medium and Micro Enterprise, em inglês). Quando há grandes projetos sendo realizados em nossas áreas como a construção de estradas, os moradores locais são ignorados embora tenham as habilidades necessárias”, lamentou. Ele disse que sempre reclamou da falta de artesãos na África do Sul, quando havia muitos em Wentworth, sem citar outras. Shaun Jones afirmou que havia alguns projetos em áreas predominantemente mestiças. Ele disse que em áreas onde havia alguns, eles não foram utilizados porque as autoridades não “preocupam-se realmente com eles”. “Em Wentworth há um centro de natação, mas ele é usado para fazer donuts. Alguns apartamentos estão desmoronando, porque tinham sido construir cerca de 30 anos atrás”, afirmou. Outras questões levantadas foram a não visibilidade da polícia em áreas que são conhecidas por serem perigosas, falta de asilos para idosos mestiços e os altos níveis de abandono escolar devido ao abuso de substâncias.
Eles também reclamaram sobre a falta de respeito para a comunidade de herança Khoisan. O porta-voz do município de eThekwini, Loggie Naidoo, reconheceu que algumas das preocupações levantadas eram genuínas. “Enquanto algumas questões serão tratadas com urgência, outros precisam de um orçamento. A atualização de apartamentos está agora sob o processo de aquisição “, disse Naidoo. O premier Zweli Mkhize disse ter recebido uma série de queixas de mestiços que se sentiam marginalizados.
“Não se deve fazer nenhuma comunidade sentir-se negligenciada. Nenhum governo pode existir quando há uma comunidade que se sente marginalizada.” “Qualquer um que ocupe a sede do governo tem a responsabilidade de ouvir as suas preocupações. Você tem o direito de reclamar e você não precisa de um requisito especial para exigir o que deveria ser dado a você”, disse Mkhize.Ele garantiu que as questões levantadas seriam abordados.
“Grupos mestiços estão sendo marginalizados quando se trata de concursos e outras oportunidades de negócios. A maneira em que as políticas governamentais de concurso e contratação são projetados visa manter determinados grupos do lado de fora”, disse Jenny Boysie.
Ele falava durante uma conferência de coesão social e de serviço de consultoria de entrega no Moses Mabhida Stadium, em Durban. A conferência contou com a presença de líderes comunitários e comunidades de Wentworth, Sydenham, Marrianridge, Parque Greenwood e Leste Newlands, que é ocupada em grande parte por mestiços.

A comunidade mestiça (Coloureds) de Durban manifestou preocupação por ter sido “negligenciada” pelo governo provincial comandado pelo CNA* e pela municipalidade de eThekwini quando se trata de desenvolvimento.

“Grupos de mestiços estão sendo marginalizadas quando se trata de concursos e outras oportunidades de negócios. A maneira em que as políticas governamentais de concurso e contratação são projetadas visa manter determinados grupos de fora”, afirma Jenny Boysie.

Ele falava durante uma conferência sobre coesão social e consultoria de serviço de entrega no Estádio Moses Mabhida, em Durban. A conferência contou com a presença de líderes comunitários e comunidades de Wentworth, Sydenham, Marrianridge, Greenwood Park e Newlands East, que são habitadas em grande parte por mestiços.

Mas o membro do Conselho Executivo Mike Mabuyakhulu insistiu que os mestiços não estavam sendo discriminados against.

Boysie disse que não houve desenvolvimento empresarial para os mestiços. “O grupo (de mestiços) está sendo excluído em programas SMME (pequeno, médio e micro empreendimento – Small, Medium and Micro Enterprise, em inglês). Quando há grandes projetos sendo realizados em nossas áreas como a construção de estradas, os moradores locais são ignorados embora tenham as habilidades necessárias”, lamentou.

Ele disse que o governo sempre reclamou da falta de artesãos na África do Sul, quando havia muitos em Wentworth, sem citar outras.

Shaun Jones afirmou que havia alguns projetos em áreas predominantemente mestiças. Ele disse que em áreas onde havia alguns, eles não foram utilizados porque as autoridades não “preocupam-se realmente com eles”.

“Em Wentworth há um centro de natação, mas ele é usado para fazer donuts. Alguns apartamentos estão desmoronando, porque tinham sido construir cerca de 30 anos atrás”, afirmou.

Outras questões levantadas foram a não visibilidade da polícia em áreas que são conhecidas por serem perigosas, falta de asilos para idosos mestiços e os altos níveis de abandono escolar devido ao abuso de substâncias. Eles também reclamaram sobre a falta de respeito para a comunidade de herança Khoisan.

O porta-voz do município de eThekwini, Loggie Naidoo, reconheceu que algumas das preocupações levantadas eram genuínas. “Enquanto algumas questões serão tratadas com urgência, outros precisam de um orçamento. A atualização de apartamentos está agora sob o processo de aquisição “, disse Naidoo.

O premier Zweli Mkhize disse ter recebido uma série de queixas de mestiços que se sentiam marginalizados. “Não se deve fazer nenhuma comunidade sentir-se negligenciada. Nenhum governo pode existir quando há uma comunidade que se sente marginalizada.”

“Qualquer um que ocupe a sede do governo tem a responsabilidade de ouvir as suas preocupações. Você tem o direito de reclamar e você não precisa de um requisito especial para exigir o que deveria ser dado a você”, disse Mkhize.

Ele garantiu que as questões levantadas seriam abordados.

*Nota do site: CNA (ANC, em inglês) é a sigla do Congresso Nacional Africano, o partido no poder desde o fim do regime do apartheid.

Traduzido de Sowetan Live, 28/11/2012.

Os vídeos e os textos postados assinados por seus autores e os noticiosos e de outros sites lincados são de inteira responsabilidade dos mesmos não representando no todo ou em parte posicionamentos do Nação Mestiça.

Posted in Mestiçofobia | Desmestiçagem, Multiculturalismo, Português.

Tagged with , , , .


0 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam