Skip to content


Vídeo diz que estudantes brancos “já ocupam espaços demais” e gera protestos

Um vídeo de uma organização negra com críticas dirigidas a estudantes brancos contrários a cotas raciais gerou manifestações de protestos na Internet. No filme, intitulado `Cotas. Essa conversa não é sobre você`, dirigido a “estudantes brancos de classe média que fazem cursinho pré-vestibular particular“, a apresentadora afirma que estes “já ocupam espaços demais” e que “agora é tudo nosso”.

Posted in Português.

Tagged with , , .


16 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.

  1. Walma says

    Mais do que as palavras, foi o tom de voz carregado de òdio e ressentimento. Ninguém tem culpa que ela nasceu negra. Sou branca e eu e meus irmaos estudamos sempre em escolas publicas. Certo que nao foi nessa atual Republica. Negros que estudavam na mesma època entraram na USP e se formaram. Se fosse uma branca nesse video, falando das cotas nesse mesmo tom de voz estaria presa por crime inafiansavel. ODIO GERA ODIO!

  2. walma says

    Não foram nem as palavras, mas o tom de ódio e escarnio dessa garota. Quanto ódio!!
    Ódio gera ódio

  3. Victor says

    Imagina o tanto de vitimista que se juntou pra fazer esse vídeo, é muita pobreza de espírito. Racismo é a […]! Sou filho de negão e cota de […]!!

  4. Victor says

    O que tem a ver o péssimo ensino público com a negritude? Retardada!!!

  5. Peter says

    Eu escrevi um artigo que foi publicado em um site on-line chamado Plano Brasil em 2011 (agora não online), que argumentou que a divisão que está sendo implantado no Brasil esta conduzida do exterior. Eu me referi ao Fundo Amazônia como um exemplo de como o governo brasileiro conseguiu brilhantemente anular os esforços de montagem de internacionalizar a Amazônia. Eu deu a entender que este é como os esforços similiar a racialmente dividem a população poderia ser superado. Eu escrevi um artigo de acompanhamento que foi publicado no mesmo site, elaborando o que chamei o método de Aikido, e apontando para o exemplo do Fundo Amazônia, mas o site não está mais na linha agora.

    Aqui estão algumas passagens do artigo onde eu falo sobre o Fundo Amazônia. O artigo geral é longo, porque eu senti que é importante primeiro dar o quadro:

    “Diante dessa crescente pressão para internacionalizar a Amazônia a partir de várias vozes internacionais de um lado, e o rosnado da pressão dos militares brasileiros por outro lado, tentando fazer algo para proteger a soberania da nação, o governo, talvez declinou agindo com o seu famoso “jeitinho brasileiro”, fazendo surgir uma resposta brilhante, que tomou completamente o vento das velas do que é reconhecidamente um esforço astuto e sofisticado da apropriação da Amazônia pelos anglo-americanos.

    “O governo brasileiro criou o Fundo Amazônia, essencialmente para desafiar os interesses internacionais e para colocar seu dinheiro onde sua boca está – com o discurso de que o Brasil administra os esforços para proteger a floresta e, assim, mantém o controle soberano sobre seu próprio território. No website do Estado, pode-se ler que o fundo “é destinado a captar doações para investimentos não reembolsáveis ​​nos esforços de prevenir, monitorar e combater o desmatamento, bem como promover a conservação e o uso sustentável da floresta no bioma Amazônia”.

    “Como que a aplicação hábil de um xeque-mate, houve pouco barulho após esta jogada de mestre, a internacionalização da Amazônia tem se silenciado desde então. A ameaça, no entanto, continua a ser dos grupos indígenas manipulados por interesses estrangeiros em consolidar a sua separação e, talvez, eventualmente, tentar a secessão.”

    O artigo ainda pode ser encontrado neste outro site:

    http://mudancaedivergencia.blogspot.com.au/2012/01/desafios-assimetricos-do-brasil.html

    A versão em Inglês é aqui:

    http://www.brazzil.com/component/content/article/232-may-2011/10477-brazils-asymmetrical-challenges-a-the-worlds-covetous-eyes-on-the-amazon.html

  6. Leão says

    Peter, eu pessoalmente não acredito que a presidente Dilma individualmente, nem o PT, estejam sendo manipulados; creio que eles sabem muito bem o que estão fazendo e concordam com esta ideologia. Talvez o PT tenha sido criado especificamente com esta finalidade. Acredito que há simpatizantes e filiados do PT que não conhecem a ideologia do PT e que possivelmente alguns desses abandonariam o partido se tivessem esse conhecimento. Os líderes maiores e grupos que promovem iniciativas similares às do Fundo Amazônia têm uma ligação ideológica com o multiculturalismo, como o petismo e outros partidos assemelhados. Não tinha informação específica sobre o Funda Amazônia (perguntei a uma pessoa do movimento e ela me disse que já tinha ouvido falar). Sei que há diversas ONGs que atuam no mesmo sentido no ambientalismo, no indigenismo, com “populações tradicionais” e neoquilombos. Está ocorrendo uma divisão de espaços jurídicos, territoriais, do povo, por isso a etnia mestiça é um entrave para eles, pois uma ideologia que valoriza a divisão se oporá a um etnia originada da mistura e homogeneização étnica e identificada com a nacionalidade. Não entendi o “anular desenhos sofisticados sobre a Amazônia” – é sobre os territórios étnicos que você está se referindo?

  7. Peter says

    Acho que temos de olhar para o quadro geral. Se o governo Dilma está a apoiar activamente esta divisão da população brasileira, é porque eles estão sendo manipulados por pessoas mais espertos que eles? Se sim, quem são essas pessoas? Saber quem são essas pessoas e quais são suas motivações parece bastante básico para mim no esforço de resistir aos seus esforços divisivos. Você está ciente do Fundo Amazônia e como isso foi usado como uma estratégia brilhante para anular desenhos sofisticados sobre a Amazônia? Se você está ciente da estratégia do Fundo Amazônia e o que ele representa, então você está ciente de como os esforços dos divisionistas pode ser derrotado.

  8. Leão says

    João, é irônico que foi a partir da “Constituição Cidadã”, como batizou Ulisses Guimarães, que estes grupos começaram a criar diversas categorias de cidadão brasileiro com direitos diferenciados. Creio que Ulisses Guimarães não imaginava o que estava por vir.

    Sobre o que fazer, o que você sugere, Peter?

  9. Peter says

    Pois bem, senhores, o que a gente vai fazer?

  10. João Carlos says

    Dois minutos do vídeo foram suficientes.
    Foram suficientes para ver um fenômeno político com paralelos na África do Sul ou Zimbábue, o Nazismo não ariano ou ainda o Nazismo negro.
    A carga de ódio, a mensagem obscurantista carregada de ressentimento, a aversão ao outro que não procura disfarçar de forma alguma, este vídeo demonstra tudo aquilo que o Brasil não é, não precisa e que deve repudiar para o bem da própria sobrevivência.
    É um vídeo criminoso, feito e idealizado por criminosos e que encontra patrocínio dentro de um governo criminoso.
    Enfim, é uma desgraça do início ao fim.
    VIVA A RAÇA HUMANA! BRASILEIRO NÃO TEM COR NEM ETNIA, TEM CIDADANIA.

  11. marcelo manfio says

    MEU FILHO TEM PELE, CABELOS E OLHOS CLAROS. ELE DEVE SER APROVADO, SE FOR CAPAZ, E ESTUDAR EM ESCOLAS QUE AVALIEM SUA INTELIGÊNCIA, SÓ ISSO. NADA MAIS. ISSO SÓ GERA ÓDIO RACIAL.

  12. nubia amaral says

    MALDITA Fundação Ford […] O BRASIL A MUITOS ANOS

  13. ihamma says

    Isso é coisa de vagabundo q não estuda porque não quer; não tem emprego porque não estudou e, ao invés de exigir do governo do PT LIXO escolas públicas de qualidade, defendem as cotas da ignorância ofertadas pelo PT.
    Esse lixo de vídeo não é a voz do nosso povo – nem dos brancos, nem dos negros. Esse ÓDIO é a voz do PT.

  14. Leão says

    Esse vídeo é uma amostra do que o movimento mestiço tem repetido: o real objetivo das cotas raciais é dividir o povo brasileiro – o discurso da reparação, enfrentamento do racismo, etc., é só discurso.
    A Fundação Ford, se não estou enganado, atua no Brasil com políticas raciais e étnicas multiculturalistas desde os anos 60. Os grupos que atuaram na última Constituinte deixaram o ovo da serpente na CF 88 e depois foram sendo criados a ECR-3, o Estatuto da Igualdade Racial, o PL do Estatuto dos Povos Indigenas, a Lei de Cotas, e por aí vai e, pior, por aí vem. O discurso do PT segue esta linha. A identificação de quem postou o vídeo no YouTube: jrborges13.

  15. Peter says

    Trazido a você pela Fundação Ford. 🙂

  16. italo maia says

    Muito triste esse video. Enquanto as pessoas não começarem a ver umas as outras simplesmente como pessoas, coisas assim vão continuar.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam