Skip to content


Careiro: Funai institui Comissão de Pagamento para Lago do Marinheiro

O Diário Oficial da União (DOU) de hoje (03/09) publicou que a Fundação Nacional do Índio (Funai) constituiu uma “Comissão de Pagamento para realizar a
indenização de benfeitorias consideradas de boa-fé implantadas por
ocupantes não índios” na denominada “Terra Indígena Lago do Marinheiro”, situada
no Município de Careiro, no Estado do Amazonas. A Funai não indeniza a terra dos nativos mestiços e de outros não indígenas expulsos, mesmo que tenha “título definitivo”, mas apenas as benfeitorias (casas e outras construções, p. ex.) que ela considere de “boa-fé”. Segundo o DOU, a Comissão de Pagamento será formada por dois servidores do órgão federal, um economista, que será o Coordenador dos Trabalhos, e um indigenista especializado, ambos lotados na Coordenação Regional de Manaus. Eles deverão se deslocar à denominada “Terra Indígena Lago do Marinheiro” e terão o prazo de quinze dias para realização dos trabalhos e cinco dias para entrega do relatório de pagamento, a contar de 20 de agosto de 2012. O Coordenador dos Trabalhos representará a Funai “em instrumentos públicos
de reconhecimento da terra indígena, de seu domínio pela União e da
posse permanente e usufruto exclusivo indígena, junto ao Cartório da
Comarca” onde está situada a denominada “terra indígena” e, nos impedimentos deste, será representado pelo Coordenador Regional de Manaus.

O Diário Oficial da União (DOU) de hoje (03/09) publicou que a Fundação Nacional do Índio (Funai) constituiu uma “Comissão de Pagamento para realizar a indenização de benfeitorias consideradas de boa-fé implantadas por ocupantes não índios” na denominada “Terra Indígena Lago do Marinheiro”, situada no Município do Careiro, no Estado do Amazonas. A Funai não indeniza a terra dos nativos mestiços e de outros não indígenas expulsos, mesmo que tenha “título definitivo”, mas apenas as benfeitorias (casas e outras construções, p. ex.) que ela considere de “boa-fé”. A Funai não registra a presença da etnia mestiça nos seus documentos visando à “demarcação de ‘terras indígenas'” nem reconhece os direitos originários da etnia mestiça.

Segundo o DOU, a Comissão de Pagamento será formada por dois servidores do órgão federal, um economista, que será o Coordenador dos Trabalhos, e um indigenista especializado, ambos lotados na Coordenação Regional de Manaus. Eles deverão se deslocar à denominada “Terra Indígena Lago do Marinheiro” e terão o prazo de quinze dias para realização dos trabalhos e cinco dias para entrega do relatório de pagamento, a contar de 20 de agosto de 2012. O Coordenador dos Trabalhos representará a Funai em instrumentos públicos de reconhecimento da denominada “terra indígena”, de “seu domínio pela União e da posse permanente e usufruto exclusivo indígena, junto ao Cartório da Comarca” onde está situada a denominada e, nos impedimentos deste, será representado pelo Coordenador Regional de Manaus.

Posted in Apartheid no Brasil, Mestiçofobia | Desmestiçagem, Multiculturalismo, Verwoerdismo | Indigenismo.

Tagged with , .


0 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam