Skip to content


1º expulso de Suiá Missú chora e aponta truculência em ação

1º expulso chora, tem casa queimada e aponta truculência.

Jardel Patrício Arruda, de Suiá Missú – Especial

Ter a casa queimada acidentalmente, com dinheiro dentro, o carro capotado e ser expulso de onde mora de forma truculenta. Esse é um resumo rápido da vida de Dilson Barbosa da Sousa (46 anos), de 3 meses para cá.

Dono de 1 hectare de terra, onde toca um bar e restaurante a beira da BR-080, Bigode, como é conhecido, foi o primeiro morador de Estrela do Araguaia a desocupar sua por conta da ação das forças de desintrusão.*

Bigode conta que recebeu a “visita” do oficial de Justiça, escoltado por 9 viaturas com policiais federais, da Força Nacional de Segurança e da Polícia Rodoviária Federal, na tarde de terça (11). Ele afirma ter sido intimado a sair e retirar suas coisas em 24 horas ou perderia tudo.

E essa “visita”, segundo ele, foi toda marcada por grosserias por parte do oficial de justiça. “Eu tava dentro de casa e ele falou sai pra cá bandido.

Me trataram muito mal, contou Dilson, em meio a um choro emocionado , no qual desabou tão logo começou a falar sobre a história. Dilson ainda contou que vasculharam a casa procurando drogas e armas, sempre, segundo ele, com grosserias e ameças. “Os policiais ficavam quietinhos, mas ele falou até para sair logo, senão eu ia ser preso”.

Morador da área há 20 anos, Dilson também reclamou da forma como obrigaram a sair: sem dar apoio logístico com um caminhão, como prometido. “Me mandaram ir para Água Boa tentar arranjar um caminhão. Tudo por minha conta”, lamentou. Agora, para não perder tudo, ele montou uma barraca de lona do outro lado da BR -80, onde está fora da terra indígena.** “Mas e aí se a PRF vir e me tirar?”, questiona.

De RD News, 13/12/2012.

Notas do site Nação Mestiça:

*”Desintrusão” é uma palavra usada pelos indigenistas para rotular os moradores mestiços como intrusos. A expulsão dos nativos mestiços e de outros não-índios pelo Governo Federal através da FUNAI é limpeza étnica.

**”Terra indígena” é uma expressão também empregada inadequadamente pelos indigenistas. Trata-se na verdade de bantustão, um território exclusivo para determinada raça e/ou etnia.

Posted in Levistraussismo, Mestiçofobia | Desmestiçagem, Multiculturalismo, Verwoerdismo | Indigenismo.


3 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.

  1. Kalixto Guimaraes says

    EXÉRCITO BRASILEIRO DEMOLIRÁ O QUE RESTOU DE ESTRELA DO ARAGUAIA.
    Kalixto Guimarães/Correspondente do Araguaia.
    Nenhuma cidade brasileira capital ou distrito, nenhuma comunidade, vila ou aldeia deste País, após o fim da ditadura militar, sofreu o drama da repressão e da violação dos direitos humanos com tamanha dose de violência e desumanidade da parte do poder político. Suiá-Missú e Estrela do Araguaia, não ira desaparecer como querem os seus algozes. O Brasil do futuro pode ate não ser mais o País continental de hoje, mas mesmo fracionado em dezenas de republiquetas de bananas, com o seu território vasto e riquíssimo repicado e dividido entre os piratas da globalização, a historia do povo que habitou e sonhou em construir neste cruzamento de rodovias uma bonita e promissora cidade, se perpetuara e será contada pelos seus descendentes. Contada como símbolo da resistência cidadã e da fé em Deus. A destruição de Estrela do Araguaia, representa um ato criminoso e hediondo contra os direitos humanos.
    A mesma ferida e dor que os Xavante e todos os povos do mundo que um dia foram exilados de suas terras, são agora, cicatrizes sentimentais que os produtores e moradores da Suiá-Missu levaram pelo resto de suas vidas. A humilhação, a falta de respeito, o descumprimento da Constituição do País, do direito básico e fundamental do cidadão, o abuso do poder e da força política por meio do aparelhamento do Estado, são fatos que serão lembrados e contados pelas aldeias e vilas do Brasil afora. Um País gigantesco, de terras, rios e mares, ainda nunca pisados e nunca navegados é transformado em um campo de guerra étnica experimental sem precedentes. A Suiá-Missu gerou um grito de alerta que ainda, esta preso na garganta, para denunciar e impedir o que estar por vir.
    O jogo da Guerra do Indigenato esta sendo preparado sutilmente no tabuleiro do azar pelos donos do mundo e as autoridades brasileiras, parecem ter sucumbidas ao xeque mate do generais do império da Águia. O mais absurdo de toda essa historia é que o nosso glorioso Exército Brasileiro, esta fazendo o papel de “morde que eu assopro.” Presente na força-tarefa, junto com a FUNAI, PF, PRF e Força Nacional, O Guardião da Nação Brasileira, com tropas do 58º Batalhão de Infantaria Motorizada e do Batalhão de Engenharia e Construções, 9º BEC, colabora com o despejo dos produtores da Suiá-Missú e moradores do Distrito de Estrela do Araguaia, numa vergonhosa operação que chamam de “desintrusão.” Com as ultimas famílias expulsas de suas propriedades e residências deixando o perímetro rural e urbana da Suiá-Missu, que foi confiscado na mão grande pela FUNAI, com permissão da turma dos Petralhas e da Justiça Federal, O EXÉRCITO BRASILEIRO, está pronto para demolir, destruir, extinguir e apagar de vez, ESTRELA DO ARAGUAIA.

  2. Kalixto Guimaraes says

    CASALDÁLIGA: BISPO SEM PATRIA CLERO SEM DEUS.

    Kalixto Guimarães/Correspondente do Araguaia

    Proscrito e mal visto pelo Vaticano devido as contundentes criticas que faz sobre a “suntuosidade papal” e contra os sacramentos da Igreja, mais uma vez Casaldáliga aplica o seu “golpe baixo” contra o povo do Araguaia, ao alardear um pressuposto plano para assassiná-lo.

    Oportunista de sempre, Pedro Casaldáliga, não podia perder o clima de tensão regional provocado pela desocupação forçada e arbitraria que a presidenta Dilma, impôs aos produtores da Suiá-Missu, para reeditar o seu factóide predileto. Colocar-se de vitima dizendo que “vive sob ameaças” plantando na imprensa a boataria de que “fazendeiros planejam a sua morte,” esse tem sido o modus operandi durante os quarenta anos de sua atuação polemica e controvérsia frente a prelazia do Araguaia. Assim, Casaldáliga, alimenta a sua mente paranóica e obstinada para se tornar no personagem principal e mártir da “libertação dos povos oprimidos do terceiro mundo.”
    Ex-comungado pela Opus Dei, por conta de sua rebeldia Casaldáliga, tem reafirmado reiteradas vezes as suas posições contrarias aos dogmas da Santa Sé, principalmente, após a sua aposentadoria. Aliado ao Conselho Mundial das Igrejas, CMI, organização com sede em Genebra, da qual, o Vaticano não faz parte, Casaldáliga, transformou a prelazia do Araguaia, em um feudo particular, onde, ele dita as cartas sempre de acordo com os interesses de seus patrocinadores. Toda a estrutura predial da prelazia, templos, casas paroquiais, galpões e centros comunitários existentes nos quatorze municípios que a compõem, obtiveram recursos de entidades e fundações ligadas ao CMI, menos do Vaticano, daí se explica a autonomia de Casaldáliga, em rezar uma missa diferente e o seu engajamento na radical agenda política indigenista e ambiental que contrapõem as obras estruturais do País, a exemplo de; Belo Monte, implantação das hidrovias, rodovia Transbananal e tantos outros projetos de vital importância ao desenvolvimento nacional. Os milhões de dólares que recebe do exterior, a titulo de generosas doações chama a atenção pelas somas elevadas e permite ao luxo de manterem um Banco de Credito Popular, gerenciado por uma ONG ligada ao bispo, a Associação Nossa Senhora de Assunção, ANSA, com sede em São Félix do Araguaia-MT, que financia pequenos empreendimentos com taxas de juros bem convidativas. Tal “banco,” que funciona há doze anos, nunca foi investigado.
    Atuando como verdadeiro peão do capitalismo internacional, Casaldáliga, vai aos poucos sendo desmascarado a medida que vai ficando cada vez mais evidente, quem ele é realmente e para quem trabalha. Apátrida e panteísta o falso bispo, usa a tutela dos pobres, índios e descamisados apenas como discurso para se locupletar e manter o seu prelado feudal. O governo petista que hoje homenageia e protege Casaldáliga, como ícone dos direitos humanos é tão canalha quanto ele. Negociam as riquezas do País e travam o desenvolvimento da nação, vendendo a falsa idéia de que o Brasil esta crescendo. Crescendo rumo ao apagão, ao sucateamento da indústria nacional, a falta de saúde pública, segurança, educação, de logística e rodovias decentes e o pior, estão entregando a soberania nacional ao domínio estrangeiro. Não há duvidas de que o bispo sem pátria e o clero sem Deus, do qual, ele é serviçal, se juntaram ao governo dos petralhas para espalhar o terror no Araguaia e transformar o Brasil em uma imensa prelazia.

  3. Kalixto Guimaraes says

    DILMA ROUSSEFF SE VINGA NO ARAGUAIA IMPONDO TERROR NA SUIÁ-MISSÚ
    By kalixto guimaraes 11/12/2012 At 19:42

    De posse do poder e do cavalo de batalha da nação, a presidenta Dilma, ordena o Exército, a Força Nacional e todo o aparato institucional de seu governo, de volta ao Araguaia, para oprimir o povo
    DILMA ROUSSEFF SE VINGA NO ARAGUAIA IMPONDO TERROR NA SUIÁ-MISSÚ
    Kalixto Guimarães/Correspondente do Araguaia
    Há quarenta anos o governo militar descia ao vale do Araguaia, para combater guerrilheiros que sonhavam implantar no país, uma nova ordem política e social. Alguns radicais queriam trocar a ditadura brasileira tocada a samba, futebol e de credo religioso livre pelo ateísmo do comunismo russo. Outros combatentes mais light, idealizavam um socialismo moreno, que fosse adaptado aos costumes e hábitos do povo brasileiro. Acusando os militares de ?entreguistas e borra botas dos yanques ,? os jovens combatentes da guerrilha do Araguaia, do Movimento de Libertação Nacional, MR-8, Vanguarda-Palmares e tantos outros grupos armados resistentes ao regime militarista que tomou o comando do país em 1964, diziam abertamente que; ?os milicos torturadores e vendilhões da pátria, entregavam as riquezas minerais da Amazônia aos estrangeiros e dispunha todo o país, aos interesses do capitalismo selvagem.?
    Durante a fase mais dura da nossa ?ditadura,? que rolou pelo idos da década de setenta, a jovem Dilma Rousseff , enfrentava pelas ruas do país, os bravos cães da policia militar, os agentes delatores do temido SNI- Serviço Nacional de Informação e o próprio Exército brasileiro, juntamente com um monte de ?amiguinhos armados e dispostos a morrerem pela pátria.? Vários desses seus colegas se tornaram anos mais tarde, membros da famosa e conhecida ?quadrilha do mensalão,? enquanto a ?ex-terrorista e guerrilheira? Dilma Rousseff, por ironia do destino e sob as bênçãos de ?São Lula,? se elegia em 2010, presidenta da República.
    Paradoxalmente, os mesmos que atiravam nos generais, dizendo que estes eram capachos do capitalismo internacional no momento, se voltam contra os interesses de milhares de cidadãos brasileiros. De posse do poder e do cavalo de batalha da nação, a presidenta Dilma, ordena o Exército, a Força Nacional e todo o aparato institucional de seu governo, de volta ao Araguaia, para oprimir o povo e espalhar o terrorismo estatal. A operação militar montada para despejar da suiá-missu, a ferro e a bala milhares de famílias que ocupam a área, cerceando o direito ao contraditório no Supremo Tribunal Federal, STF, além de violar o estado de direito democrático do país, revela o caráter revanchista e vingativo da ex-guerrilheira, agora, senhora poderosa dos destinos da pátria.
    Email:: calixto_guimraraes@hotmail.com