Skip to content


Pau Brasil: Pataxós invadem fazendas e fazem reféns

Pataxós-barreira-Pau-Brasil-2-foto-alef-filho

As fazendas foram invadias antes de o dia amanhecer, segundo relatos de fazendeiros que procuraram a delegacia local para registrar as ocorrências e notificaram que mais de 30 pessoas ficaram reféns dos índios. As invasões têm se tornado corriqueiras na disputa pela posse de 54 mil hectares de terras nos municípios de Pau Brasil, Camacan e Itaju da Colônia.
Segundo Bonfim, as polícias Civil e Militar do estado pouco ou nada podem fazer, uma vez que as terras são consideradas como área de reserva federal e as forças auxiliares não têm acesso ao local, a não ser que a Polícia Federal solicite apoio. A unidade da PF em Ilhéus foi avisada do ocorrido, mas federais só irão à reserva amanhã, quando as autoridades dos municípios afetados terão uma visão mais exata a respeito das invasões e de seus efeitos.
Não há, por enquanto, nenhuma informação sobre a existência de feridos nas invasões, mas o clima é de tensão na região, a ponto de Pau Brasil onde barricadas nos acessos à cidade tenta evitar a circulação dos índios, que reclamam a posse das terras há 40 anos.
Os indígenas são parte de Ação Cível Originária (ACO) 312 protocolada pela Fundação Nacional do Índio (Funai) no Supremo Tribunal Federal (STF). Em outubro do ano passado o processo foi redistribuído para a ministra Cármen Lúcia, que já autorizou a mesa do STF a agendar a reapresentação da ACO 312.

Índios da etnia pataxó hã-hã-hãe ocuparam cinco propriedades rurais na madrugada deste domingo, 15, em terras que são disputadas com fazendeiros e empresas agropecuárias de Pau Brasil, de acordo com o agente da Polícia Civil no município, Sagro Bonfim.

As fazendas foram invadias antes de o dia amanhecer, segundo relatos de fazendeiros que procuraram a delegacia local para registrar as ocorrências e notificaram que mais de 30 pessoas ficaram reféns dos índios. As invasões têm se tornado corriqueiras na disputa pela posse de 54 mil hectares de terras nos municípios de Pau Brasil, Camacan e Itaju da Colônia.

Segundo Bonfim, as polícias Civil e Militar do estado pouco ou nada podem fazer, uma vez que as terras são consideradas como área de reserva federal e as forças auxiliares não têm acesso ao local, a não ser que a Polícia Federal solicite apoio. A unidade da PF em Ilhéus foi avisada do ocorrido, mas federais só irão à reserva amanhã, quando as autoridades dos municípios afetados terão uma visão mais exata a respeito das invasões e de seus efeitos.

Não há, por enquanto, nenhuma informação sobre a existência de feridos nas invasões, mas o clima é de tensão na região, a ponto de Pau Brasil onde barricadas nos acessos à cidade tenta evitar a circulação dos índios, que reclamam a posse das terras há 40 anos.

Os indígenas são parte de Ação Cível Originária (ACO) 312 protocolada pela Fundação Nacional do Índio (Funai) no Supremo Tribunal Federal (STF). Em outubro do ano passado o processo foi redistribuído para a ministra Cármen Lúcia, que já autorizou a mesa do STF a agendar a reapresentação da ACO 312.

De Pimenta.blog, em 15/04/2012.

Os vídeos e os textos postados assinados por seus autores e os noticiosos e de outros sites lincados são de inteira responsabilidade dos mesmos não representando no todo ou em parte posicionamentos do Nação Mestiça.

Posted in Português.

Tagged with , , .


0 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam