Skip to content


Pardo não é negro: Nação Mestiça quer mudança em PL e cotas separadas para pardos

O Movimento Pardo-Mestiço Brasileiro e diversas associações reuniram-se hoje  com o deputado estadual do AM, Dermilson Chagas, autor de projeto de lei que cria cotas para índios e negros em concursos públicos para cargos nos órgãos e entidades no poder executivo estadual do Amazonas. A presidente do Movimento Pardo-Mestiço Brasileiro, Helda Castro, criticou o fato do PL classificar pardos como negros, o que, dentre outras, vai contra a Constituição do Estado do Amazonas, que reconhece mestiços e caboclos como uma etnia própria. O deputado informou que o PL fora apresentado por solicitação da Defensoria Pública do Estado do Amazonas, mas está disposto a atender a demanda dos mestiços.

No dia anterior, o Movimento Pardo-Mestiço Brasileiro também foi recebido no gabinete da deputada estadual Nejmi Aziz, que apresentou proposta de emenda constitucional instituindo cotas para negros e índios. A presidente Helda Castro entregou documento da associação, com amplo embasamento, reivindicando a inclusão de cotas também para mestiços e caboclos e separada das reservada a negros e índios, pelo fato dos mestiços serem uma etnia própria e também com problemas sócio-econômicos.

As reivindicações do Movimento Pardo-Mestiço Brasileiro também visam a proteger os mestiços de discriminações e processos por grupos antimestiços que colocam pardos nas cotas, mas depois os expulsam das vagas sob a alegação de que não teriam aparência de pretos, os expondo a prejuízos morais e materiais.

Posted in Português.


One Response

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.

  1. Januncio rocha says

    Verdade, eu dou pardo e apoio essa medida



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam