Skip to content


“Pardo não é negro!” Helda Castro rebate projeto racista da Defensoria do AM contra mestiços

A presidente Helda Castro, do Movimento Pardo-Mestiço Brasileiro, desmascara projeto de cotas da Defensoria Pública do Estado do Amazonas que classifica pardos como se fossem negros, uma demanda de movimentos negristas que defendem que a “raça negra” seria superior a mestiços. O AM é o Estado do Brasil com maior percentual de pardos, em sua maioria mestiços caboclos, e um dos com menor percentual de pretos. A Audiência Pública: “Reserva de vagas para pessoas negras (pretas e pardas), indígenas e quilombolas em concursos e seleções na DPE/AM”, ocorreu às 09 horas do dia 09 de junho de 2021, quarta-feira, no Auditório da Sede Administrativa da Defensoria Pública do Estado do Amazonas, 3° Andar, Avenida André Araújo, n° 679, Aleixo, em Manaus.

Posted in Português.


0 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam