Skip to content


“É preciso matar o homem branco.” Ativista preto “anti-racista” gera revolta em Portugal

O senegalês com cidadania portuguesa Mamadou Ba afirmou que “é preciso matar o homem branco, assassino, colonial e racista” de forma a “evitar a morte social do sujeito político negro”. As declarações foram feitas durante a conferência organizada pelo canal online Pensa Africanamente, que tinha o tema “Racismo e Avanço do Discurso de Ódio no Mundo”. O evento teve a participação de ativistas de movimentos negros do Brasil.

Mamadou Ba foi assessor do Bloco de Esquerda, partido marxista de Portugal.

Posted in Português.


0 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam