Skip to content


O indigenismo defende segregação racial para evitar miscigenação, que diz causar decadência cultural

Posted in Apartheid no Brasil, Mensagem Mestiça, Português, Verwoerdismo | Indigenismo.


One Response

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.

  1. Estephani says

    Boa noite, parabéns pelo conteúdo do site. Fiquei bastante interessada nas informações que obtive aqui, continuem assim. Eu não sabia da existência desse site, com certeza irei compartilhar para que outras pessoas tenham esse mesmo conhecimento.
    Quando eu era criança sempre minha mãe dizia que eu era negra, porque ela era negra, porém meu pai era branco. Eu dizia pra todo mundo que era negra, pra quem era preto sempre me olhavam de cima a baixo e diziam: “Negra? Você tá mais pra branca”. Aí depois eu percebi que minha pele era mais clara que da minha mãe, e disse algumas vezes que eu era branca, já os bancos me olhavam também de cima e baixo e diziam: “Branca?? Você tá mais pra negra”.
    Aí eu me sentia muito confusa, não me encaixava em nada, alguns amigos meus diziam que minha cor na verdade era de “burro quando foge”, já tinha outros que diziam “Não existe meio termo, não tem esse negócio de moreninha, ou você é branco ou você é negro”.
    Na escola a professora me explicou que só existe branco e negro, e que os pardos e pretos eram negros. Pra mim pareceu que tudo fazia sentido, eu realmente enfatizava que era negra pelo fato de ser parda.
    Mas recentemente (Isso foi ano passado), assisti um vídeo (Não me lembro o nome do rapaz) e ele era africano e disse que morava no Brasil, e comentou que os brasileiros tem o costume muito feio de se chamar de algo ruim, que seria a palavra “negro”, e sitou vários exemplos, como por exemplo: “A fome é negra”, “A peste é negra”, e coisas boas seriam “A grana é preta”, “O café é preto”. E que na verdade quem nomeou os pretos de “negros” na verdade foram os portugueses, que na verdade significava “escravos”, tanto que até os índios também já foram chamados de “Negros da terra” (Se não me engano esse é o termo, posso estar falando besteiras), tanto que como os índios foram os primeiros a serem libertos da escravidão esse termo não pegou com eles, mas com os pretos acabou trocando para negros, e na época isso significava algo ruim, que até os escravos que tinham ganhado sua carta de alforria não gostavam de serem chamados de Negros pelo fato de relacionar a escravos. Porém, hoje em dia é feio você chamar alguém de “Preto”, parece que você está sendo preconceituoso, mas você falar “Negro” parece a forma mais correta. Já no Estados Unidos “Nigga” é uma palavra considerada racista, porém é comum ser usada entre negros, mas eles definem sua cor como “Black”.
    Com esse vídeo que assisti abriu minha mente, eu excluí isso sobre o termo “Negro”, e consegui entender que na verdade é “Branco, Pardo e Preto”, até nas pesquisas do IBGE não falam “Quantidade de pessoas Negras”, e sim “Pretas”.
    Consegui entender que tudo é raça humana, não é separado a raça negra e as demais raças, a única raça que existe é a humana.
    Foi o que eu aprendi, posso também estar enganada em relação a isso, mas estou aprendendo bastante coisa nesse site sobre a minha miscigenação, é muito interessante e todos deveriam saber, pois muita gente tem uma ideia errada em relação a isso.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam