Skip to content


Presidente de Gana quer que descendentes de negros africanos “voltem” para a África

O presidente do Gana, Nana Akufo-Addo, convida os descendentes de negros africanos a “voltarem” para a África.

O presidente do Gana, Nana Akufo-Addo deseja e está trabalhando para que os “africanos da diáspora”, como ele denomina os descendentes dos escravos africanos vendidos a outros continentes, visitem e passem a residir naquele país. Com este objetivo, o governo de Gana criou uma campanha para tornar mais fácil para eles retornarem à “Terra-Mãe”.

2019 marca 400 anos, afirma o site Travel Noire, desde que os primeiros africanos foram arrancados de suas famílias e forçados à escravidão. 77 milhões de pretos africanos foram enviados como negros para o Caribe e outras regiões da América. A maioria dessas pessoas veio de países da África Ocidental, então conhecida como Costa do Ouro. Gana está agora chamando “seu povo” para visitar e, espera, viver.

No Brasil, negros africanos passaram a conviver com negros índios (alcunhados pelos portugueses de “negros da terra”), sendo empregados especialmente no trabalho agrícola. Esta convivência também resultou em intensa mestiçagem.

A iniciativa, conhecida como “Ano do Retorno, Gana 2019”, é liderada pelo Gabinete da Diáspora e apoiada pelo presidente Nana Akufo-Addo. Para o ano de 2019, haverá uma série de eventos, festivais e atividades de boas-vindas, incentivando aqueles “em sua jornada espiritual de direito de nascimento”.

“O Ano do Retorno, Gana 2019” celebra a resiliência cumulativa de todas as vítimas do tráfico transatlântico de escravos que foram espalhadas e deslocadas pelo mundo na América do Norte, América do Sul, Caribe, Europa e Ásia, afirma o site. Foi anunciado em setembro de 2018, mas foi oficialmente lançado em dezembro de 2018 no Full Circle Festival de Gana. Boris Kodjoe, Michael Jai White, Djimon Hounsou, Anthony Anderson e Jidenna eram apenas algumas das estrelas de Hollywood que participaram. Em julho de 2019, um festival pan-africano de artes e cultura terá lugar em todo o país e uma cerimônia de “cura e expiação” terá lugar no Dia da Emancipação em agosto.

Como parte de uma campanha de um ano de duração, 200 pessoas afro-americanas e afro-caribenhas que vivem em Gana ganharão cidadania. As taxas de visto também foram reduzidas de US$ 150 para US$ 75. O objetivo é tornar mais fácil para aqueles que estão na diáspora viajar para Gana. Eles estão também fazendo parcerias com companhias aéreas.

Há toneladas de eventos de “Ano do Retorno” programados durante todo o ano de 2019 com Afrochella em 28 de dezembro, sendo a maneira perfeita de coroar o ano, enfatiza o site.

Com informações de Travel Noire.

Posted in Português.


14 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.

  1. MARGARETE SILVA says

    Sempre penso e gostaria de saber de onde sai pq aqui no Brasil as pessoas não nos aceita. Seria uma felicidade imensa e gratidão se pertencesse a Gana iria com muitíssimo prazer !!!

  2. Katia santana says

    Eu tenho interece de voltar pra minha nacao de origem . Sou Brasileira mas nao me considero . Meu sonho e voltar para minha patria mae a Africa mae .

  3. Kátia Rodrigues says

    Quais os critérios para de encaixar no programa e como será feita a adaptação local?
    Muito interessante a proposta.

  4. REGINA LUCIA RODRIGUES FERNANDES says

    Sou descendente de africanos minha bisa pegou o final da escravidão nasceu livre mais seus pais morreram escravos não sei de qual parte da africa mais temos documentos dela quando foi trazida para um quilombo aqui no Brasil ,ela viveu em minas gerais,Salvador e depois aqui no rio de janeiro faleceu aos cento e quatro anos

  5. Robson luiz Rosa says

    Voltar pra casa é o sonho de muitos negros, mas em muimuitos esse desejo foi sufocado pela raiz criada no solo em que seus avós foram plantados a força, eu de verdade nem sei minha origem gostaria de saber e voltar seria a realização da alma.

  6. Maria Regina says

    Gostaria de saber qual o critério usado para saber se o indivíduo é descendente do povo de Gana

  7. Milton Mendes do Prado says

    Os descendentes de Negros no Brasil, na sua maioria não sabem sequer quem são seus ancestrais. É meu sonho conhecer a África Mãe, mas não disponho de capital pra arcar com as despesas.

  8. Maria Cristina Cipriano says

    Eu quero participar dos eventos

  9. Robson says

    Interessante proposta. É preciso conhecer os interesses, garantias e possibilidades para uma perfeita integração e como se poderá ajudar na construção e desenvolvimento do país.

  10. João Felix says

    Vai ser muito bom e seria ótimo deixar esse país racista e voltar para nossa origem.

  11. João Carlos Silva araujo says

    Eu gostaria de participar desse evento e conhecer Gana.

  12. Jose florencio da silva says

    Noticia alvissareira!

  13. Apolo Heringer Lisboa says

    Bela ideia, o retorno trará capital social e tecnologias, experiências e cérebros

  14. Lenaldo Conceição Santana says

    Eu nasci no Brasil mas sei que a minha raiz dos meus antepassados dos meus ancestrais é a África minha mãe África.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam