Skip to content


Presidente checo contra obrigação de receber imigrantes muçulmanos

Milos Zeman, presidente da República Checa.

O presidente Milos Zeman, do Partido dos Direitos Civis – Zemanovci, reiterou na sua mensagem de Natal deste ano a sua recusa em receber imigrantes muçulmanos na República Checa e acusou a liderança da União Européia (UE) de “impotência e burocracia”. A declaração indica uma tentativa da esquerda européia de conquistar parte do crescente apoio a partidos nacionalistas na Europa contrários à política imigrantista e de islamização da UE. A Arábia Saudita e outras teocracias muçulmanas enriquecidas pelo petróleo têm cooperado com grupos políticos de esquerda e globalistas para abrir as fronteiras dos países cristãos à expansão do islamismo.

“Acolher migrantes muçulmanos, difíceis de integrar no nosso território, significaria criar um caldo de cultura [suscetível de provocar] eventuais ataques terroristas”, afirmou Zeman na sua mensagem difundida por diversas cadeias televisivas.

“Hoje quase ninguém duvida de uma ligação entre a vaga migratória e os ataques terroristas”, acrescentou Zeman, eleito para a chefia do Estado no início de 2013.

“Por esse motivo oponho-me à ideia pela qual seria bom acolher nos próximos dois anos no nosso território cerca de 6.200 migrantes através de uma designada base voluntária, que é quase o mesmo que cotas obrigatórias”, acrescentou.

Zeman pronunciou-se antes por uma “ajuda aos migrantes no seu país de origem ou em países vizinhos”, e ainda por um apoio à Itália e Grécia, países “que enfrentam a onda migratória”.

Na sua mensagem natalícia, o chefe de Estado checo também não deixou de fustigar a “atual direção da União Europeia”, nomeadamente sobre a saída do Reino Unido da UE.

“A maior parte da responsabilidade [do Brexit] incumbe à atual direção da UE que é absolutamente impotente e burocrática, que está na origem do afastamento dos cidadãos das instituições da UE e que inclusive é incapaz de garantir uma tarefa fundamental, que é a sua, a proteção da fronteira exterior da UE”, assinalou ainda o Presidente checo.

Segundo o censo de 2011, 34% da população da República Checa declarou ser atéia e 10,3% disse ser católica romana, 0,8% protestante e 9% seguidora de outras formas de religião. 45% da população não respondeu à pergunta sobre religião.

Biografia

Milos Zeman (Kolín, 28 de setembro de 1944) é o atual presidente da República Checa. Foi membro do Partido Comunista da Checoslováquia, do qual foi expulso durante a invasão soviética contra as reformas da Primavera de Praga, em 1968, perdendo também seu emprego como professor de economia. Filiou-se ao Partido-Social Democrata, de esquerda, após a queda do comunismo em 1993. Cinco anos mais tarde, formou um governo de minoria responsável pelas negociações para a adesão da República Checa à União Europeia em 2004. Foi primeiro-ministro da República Checa, de 1998 a 2002. Também foi líder do Partido Social-Democrata Checo e serviu como presidente da Câmara dos Deputados, a câmara baixa do parlamento checo, de 1996 a 1998. Em 2009 fundou o Partido dos Direitos Civis – Zemanovci, de esquerda. Em 26 de Janeiro de 2013, ele foi eleito presidente da República Checa; o seu mandato teve início a 8 de março de 2013.

Com informações de Diário de Notícias, 26/12/2016.

Posted in Imigrantismo, Português.

Tagged with , .


0 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam