Skip to content


Deputados dedicam seus votos a torturadores

Durante a votação do processo de demissão da presidente petista Dilma Rousseff, o deputado negro Valmir Assunção, do partido anti-mestiço PT, votando contra o impeachment da presidente branca comunista, dedicou seu voto aos terroristas Carlos Marighella e Carlos Lamarca, acusado de torturar e trucidar o Tenente Alberto Mendes Júnior e de outros assassinatos. Marighella também foi homenageado por diversos outros deputados de esquerda durante seus votos contra o impeachment da presidente petista.

Morte dolorosa

Dezenove guerrilheiros organizaram um campo de treinamento no Vale do Ribeira, Registro – SP. Estavam cercados por forças da Polícia Militar e do Exército.
Nesse contexto o Tenente Alberto Mendes Junior foi condenado por uma coisa que chamam de tribunal revolucionário, também enquadrado como “justiçamento”, execução que serve para eliminar os próprios colegas que tentam abandonar a causa revolucionária comunista marxista-leninista.
O oficial da Polícia Militar foi executado a coronhadas para não denunciar a posição dos guerrilheiros.

Dezenove guerrilheiros organizaram um campo de treinamento no Vale do Ribeira, Registro – SP. Estavam cercados por forças da Polícia Militar e do Exército.

Nesse contexto o Tenente Alberto Mendes Junior, de 23 anos de idade, foi condenado por uma coisa que chamam de tribunal revolucionário, também enquadrado como “justiçamento”, execução que serve para eliminar os próprios colegas que tentam abandonar a causa revolucionária comunista marxista-leninista.

O oficial da Polícia Militar foi executado a coronhadas para não denunciar a posição dos guerrilheiros comunistas.

Com informações de Museu Vítimas dos Comunistas.

Posted in Português.


0 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam