Skip to content


Conflito entre índios e mestiços na BA: Força Nacional chega a Buerarema

forcanacionaldeseguranca_091007_minjustica(1)

Tropas da Força Nacional de Segurança se dirigirão na tarde desta segunda-feira para Buerarema, cidade localizada no sul da Bahia, devido aos conflitos entre índios tupinambás-de-olivença e mestiços sob risco de limpeza étnica pelo governo petista.

Apesar de no final de semana não ter havido ocorrências, o clima é tenso na região. Índios que já invadiram diversas propriedades de mestiços nas últimas semanas , numa ação que eles chamam de “retomada”, prometem mais ocupações de propriedades mestiças. Mestiços que interditaram na sexta-feira a BR-101 por mais de cinco horas em manifestação dizem que vão fazer mais protestos.

A Força Nacional chegou na noite de domingo a Ilhéus e, na manhã desta segunda-feira, se reuniu com a Polícia Federal (PF) para discutir estratégias de atuação. Devido aos conflitos, o contingente da PF está sendo reforçado, assim como das polícias Civil e Militar.

Também nesta segunda, a PF começará a apurar quem pôs fogo nos três veículos de assistência da saúde indígena, ligados ao Ministério da Saúde.

A Polícia Civil investigará quem foram os autores do saque à loja da Empresa Baiana de Alimentos, de onde também foram levados equipamentos como computadores, e quem pôs fogo num carro da Agência Estadual de Defesa Agropecuária. Os crimes ocorreram durante a manifestação de sexta-feira.

Outros fatos que serão apurados são quem realizou os disparos contra um caminhão que transportava índios e outros estudantes na última quinta-feira, na região de Serra do Padeiro, onde indígenas teriam invadido cerca de 40 propriedades de mestiços.

No ataque, foram atingidos os não-índios Lucas Araújo dos Santos, 18 anos, e Rangel Silva Calanzans, 25 anos. Os atingidos pelos disparos permanecem internados num hospital em Itabuna.

A polícia também vai investigar o relato de mestiços sobre um ataque, por parte de índios, a uma mercearia, na qual teriam sido jogados coquetéis molotov. Não houve feridos no ataque. Mestiços e índios dizem que o lado oposto está armado, porém ninguém ainda foi preso por porte ilegal de arma.

Segundo os índios, as invasões são para pressionar o governo federal a publicar a demarcação de 47,3 mil hectares que eles dizem ser área indígena. A área abrange terras dos municípios de Buerarema, Ilhéus e Una. Dentro da área vivem mestiços descendentes dos índios que habitavam o território no passado e que, por isto, possuem direito originário sobre a terra pretendida com exclusividade pelos índios tupinambás-de-olivença.

Mestiços, precavendo-se contra violência por parte dos índios, estão retirando seus pertences de suas propriedades, e afirmam que as invasões têm ocorrido com violência, com índios armados de porrete, flechas, facões e foices. Os mestiços exigem o cumprimento de reintegrações de posse emitidas pela Justiça e já com da PF para serem cumpridas.

Bantustões

Ao menos 300 indígenas participam das invasões – ao todo, o povo tupinambá é composto por cerca de 4,6 mil índios, de acordo com a Associação Nacional Indigenista Missionária.

O Brasil é signatário da Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial que condena “segregação racial e o apartheid” e comprometeu-se a “proibir e a eliminar nos territórios sob sua jurisdição todas as práticas dessa natureza”.

Reescrito com informações de Terra, 19/08/2013.

O que são bantustões

Posted in Português.


One Response

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.

Continuing the Discussion

  1. Sem diálogo só resta mesmo o uso da Força: Conflito étnico entre índios e mestiços na BA será apaziguado pela Força Nacional. | Revelando #SegredosdaTribo linked to this post on 21/08/2013

    […] Conflito entre índios e mestiços na BA: Força Nacional chega a Buerarema […]



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam