Skip to content


Censo 2010 será mais detalhado

Haverá perguntas sobre os ‘novos arranjos familiares’ e as condições de vida do brasileiro

O Censo 2010, que começa em agosto, vai traçar a mais completa radiografia das relações familiares e das condições de vida dos brasileiros. O censo investigará os novos arranjos familiares que existem no País – não apenas registrar quantos pais, mães e filhos, mas também quantos são os agregados, conviventes, pensionistas, cônjuges do mesmo sexo, filhos só do responsável, enteados, etc.

O censo também vai investigar em detalhes as condições de moradia, além dos itens tradicionais, como água, saneamento e esgoto. Serão pesquisados até a quantidade e as condições dos banheiros e de quais materiais são feitas as paredes das casas.

Pela primeira vez, a pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vai investigar as línguas indígenas, assim como a cor e raça da população, registro de nascimento, brasileiros que moram ou estudam no exterior e formas de deslocamento para o trabalho e o estudo. No Censo de 2002, os itens raça e cor estavam nos questionários da amostra, ou seja, uma parte da população declarava e depois os números eram trabalhados do ponto de vista estatístico de projeção. Agora, no Censo de 2010, a classificação (branco, preto, pardo, amarelo ou indígena) fará parte do questionário básico nacional, o que dará uma amostra mais extensa e segura.

Além disso, o IBGE abriu a possibilidade de as respostas do questionário serem respondidas e entregues pela internet, após o recenseador fornecer uma senha de controle.

Dimensão. A pesquisa, que é realizada a cada dez anos, será feita durante três meses e contará com 191 mil recenseadores que visitarão 58 milhões de domicílios de 5.565 municípios brasileiros. O custo do Censo de 2010 será de cerca de R$ 2 bilhões. Ontem, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, e o presidente do IBGE, Eduardo Nunes, anunciaram as novidades do censo.

Uma campanha informará a população de que a coleta de dados será iniciada e mostrará que todos os recenseadores serão identificados com crachá, colete e boné. Quem tiver dúvidas sobre a identificação pode telefonar para o 0800-7218181.

NOVIDADES DA PESQUISA

A pergunta sobre as relações familiares ganhou mais nove categorias para definir o tipo de relação de parentesco ou convivência do entrevistado com o responsável pelo domicílio. O IBGE investigará:

Cor e raça: A cor e a raça dos entrevistados e outros moradores. Todos responderão a pergunta e não só parte da amostra.

Línguas indígenas: As 190 línguas faladas pelas populações indígenas.

No exterior: Se há moradores do domicílio trabalhando ou morando no exterior.

Deslocamento: O deslocamento de casa para o trabalho e para o estudo e vice-versa.

Registro de nascimento: Se as crianças com até 10 anos têm registro de nascimento.

Questionário amostra: Aspectos detalhados do domicílio e dos moradores, como religião e deficiência física ou mental.

Edna Simão / BRASÍLIA

De O Estado de S.Paulo.

Qual a cor do presidente Lula? – José Eustáquio Diniz Alves

Número de mestiços aumenta nos EUA

O mulato no censo dos EUA

Inclusão de ‘Negro’ no censo dos EUA gera reação entre afro-americanos

Polémica en Estados Unidos por la inclusión del término “negro” en el censo nacional

Um ideal de democracia – Yvonne Maggie

No STF: Nação Mestiça denuncia o uso político das cotas raciais contra os mestiços

Florestan Fernandes e o enegrecimento dos mulatos

Posted in Português.


0 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Comments Protected by WP-SpamShield Anti-Spam