Skip to content


Bolsonaro: “Enquanto eu for presidente não tem demarcação de terra indígena”

Presidente Jair Bolsonaro.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse ontem (17) que países que investem recursos no país para programas de preservação ambiental estão “comprando à prestação o Brasil”. Ele criticou a Noruega que, assim como a Alemanha, decidiu suspender seus repasses para o Fundo Amazônia.

“O pessoal está comprando à prestação o Brasil. A compra no passado era também demarcando terras, o Brasil só fazia acordos lá fora em troca de abrir mão de sua soberania, demarcando terras indígenas, ampliando parques”, disse, dando como exemplo o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, ampliado em 2017 no governo do então presidente Michel Temer.

Para o presidente, as reservas atrapalham o desenvolvimento do país. “Não pode continuar assim, [em] 61% do Brasil não pode fazer nada. Tem locais que, para produzir, você não vai produzir, porque não pode ir num linha reta para exportar ou para vender, tem que fazer uma curva enorme para desviar de um quilombola, uma terra indígena, uma área proteção ambiental. Estão acabando com o Brasil”, disse, ao deixar o Palácio da Alvorada na manhã desta sexta-feira.

Bolsonaro ressaltou ainda que não fará demarcação de terras indígenas durante seu governo. “Enquanto eu for presidente não tem demarcação de terra indígena”, disse. “Eles têm 14% do território nacional. Imagine Região Sudeste, uma área maior que essa já é terra indígena, não é área suficiente? Ontem [15], eu estive de novo com um grupo de indígenas e eles querem liberdade para trabalhar na sua área, não querem viver como em um confinamento, como seres pré-históricos”, acrescentou o presidente.

Posted in Português.


EDITAL DE ELEIÇÃO DO NÚCLEO MESTIÇO DO MUNICÍPIO DE AUTAZES DO MOVIMENTO PARDO-MESTIÇO BRASILEIRO

Publicado hoje, quarta-feira (14), o Edital de Convocação para Eleição da Diretoria e do Conselho Fiscal do Núcleo Mestiço do Município de Autazes do Movimento Pardo-Mestiço Brasileiro. Para acessar o Edital clique no link abaixo.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÃO DO NÚCLEO MESTIÇO DO MUNICÍPIO DE AUTAZES DO MOVIMENTO PARDO-MESTIÇO BRASILEIRO (MPMB)

Posted in Português.


FALA, MESTIÇO! Invasões, desmatamentos e arrendamentos indigenistas no território mestiço de Autazes

Posted in Português.


Nação Mestiça realiza ação social no Canaranas

O Movimento Pardo-Mestiço realizou neste sábado (27) no conjunto Jardim Canaranas ação social no Centro Pastoral da igreja de N. S. da Assunção em Manaus, com colaboração da SEJUSC. 

A ação atendeu cidadãos interessados e obter 1a. e 2a. vias de certidão de nascimento, de RG e orientação jurídica. Mais de cento e cinquenta pessoas foram atendidas até às 13 horas.

Posted in Português.


Mestiço no Censo 2020: Nação Mestiça se reune com diretoria do IBGE no AM

Da esquerda para a direita: Argemiro Neto, coordenador do Censo no AM; José Ilcleson, chefe do IBGE no Estado do AM; Tiago Almudi, coordenador técnico estadual do Censo do IBGE no AM; Laucivanio Ramires de Aparicio, coordenador geral da Associação dos Caboclos e Ribeirinhos da Amazônia (ACRA); Helderli Castro de Sá, presidente do Movimento Pardo-Mestiço Brasileiro; Leão Alves, coordenador do Fórum Nacional do Mestiço (FNM); artesãs Adriana e Alessandra, do Nação Mestiça.

Mestiço de volta ao Censo em 2020 foi a pauta da reunião do Movimento Pardo-Mestiço Brasileiro (Nação Mestiça) com a Diretoria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no Estado do Amazonas. Continued…

Posted in Português.


MPF defende separar pardos de negros

Após 13 anos, MPF responde a denúncia de discriminação contra o Povo Mestiço.

“É incontestável a procedência e a validade do questionamento formulado pelo Movimento Pardo-Mestiço Brasileiro relativo à subsunção imperativa da categoria pardo à categoria negro. A existência de pardos, no Brasil, que não se identificam como afrodescendentes constitui um fato indubitável, e a sua junção em bloco aos pretos para fins de atribuição de direitos (relacionados ou não a ações afirmativas) e personalidade étnico-racial representa, a bem da verdade, um constrangimento que merece ser reparado”, afirma a análise pericial antropológica solicitada pelo Ministério Público Federal (MPF) e citada em despacho enviado, neste mês de julho de 2019,  pelo órgão ao Movimento Pardo-Mestiço Brasileiro (Nação Mestiça). Continued…

Posted in Português.


Nação Mestiça quer mestiço de volta ao Censo em lugar de pardo em 2020

O Movimento Pardo-Mestiço Brasileiro (Nação Mestiça) mantém sua campanha permanente pelo retorno da opção ‘mestiço’ no quesito sobre cor ou raça do Censo Demográfico brasileiro, agora visando ao de 2020. Continued…

Posted in Português.


Presidente de Gana quer que descendentes de negros africanos “voltem” para a África

O presidente do Gana, Nana Akufo-Addo, convida os descendentes de negros africanos a “voltarem” para a África.

O presidente do Gana, Nana Akufo-Addo deseja e está trabalhando para que os “africanos da diáspora”, como ele denomina os descendentes dos escravos africanos vendidos a outros continentes, visitem e passem a residir naquele país. Com este objetivo, o governo de Gana criou uma campanha para tornar mais fácil para eles retornarem à “Terra-Mãe”. Continued…

Posted in Português.


O Amazônida Hinterlandino: Uma Análise Discursiva – Francisco de Assis Coelho e Pinho

Francisco de Assis Coelho e Pinho.

“A mescla entre hábitos culturais de produção e alimentação dos povos indígenas transmitiu-se aos cabocos, que transformam essa herança em uma parte da sua concepção distintiva de cultura singular, e essa singularidade não é anulada por tomar para si hábitos indígenas que em parte estão na sua constituição como mestiço.”

O Amazônida Hinterlandino: Uma Análise Discursiva, de Francisco de Assis Coelho e Pinho, foi apresentado como dissertação de Mestrado à Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e ao Programa de Pós-Graduação Sociedade e Cultura na Amazônia (PPGSCA) como requisito para obtenção do título de Mestre em Sociedade e Cultura na Amazônia. Continued…

Posted in Português.


ÁGUAS DE MANAUS cobra R$152,84 por consumo ZERO de água

Apesar do hidrômetro marcar consumo zero, a empresa Águas de Manaus faturou 12 metros cúbicos de consumo.

A Água de Manaus, empresa que administra o abastecimento hídrico da capital do Estado do Amazonas, cobrou de um usuário R$152,84 por consumo zero de água. Embora o hidrômetro não marcasse sequer um metro cúbico de água consumida durante 13 dias do mês de junho, a empresa faturou a nota como se o usuário tivesse consumido 12 metros cúbicos.

Manaus fica localizada no encontro entre os rios Negro e Solimões, que faz parte do rio Amazonas, o maior do mundo em volume e comprimento. 

Posted in Português.