Skip to content


Confusão e esvaziamento marcam conferência de “igualdade racial” em TO

Cadeiras vazias e petismo ocuparam conferência da Igualdade Racial do Tocantins.

A IV Conferência Estadual de Igualdade Racial de Tocantins foi realizada em Palmas no dia 8 de fevereiro de 2018, na Universidade Federal do Tocantins (UFT). Como de praxe, foi marcada por cadeiras vazias e muitas cobranças e críticas de grupos de esquerda, no papel de sociedade civil, ao governo do Estado, nesta edição administrado por Marcelo Miranda (PMDB).

Uma carta aberta de “delegadas e delegados” não deixou dúvidas no estilo e conteúdo quanto ao alinhamento com a ideologia de desmestiçagem e o petismo: “A população negra representa mais 70% da população do estado do Tocantins…”, “…o cenário nacional em que vivemos de retirada de direitos sociais devido ao avanço da agenda neoliberal, nos impõe apontar que o Golpe…”

Segundo dados do IBGE (201), a população de Tocantins é formada por 65, 8% de pardos, 22,9% de brancos, 4,7% de pretos e 0,3% de amarelos e índios.

O site do governo de Tocantins afirma que a realização foi do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial (CEPIR), juntamente com a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (SECIJU), por meio de sua Diretoria de Direitos Humanos e da Gerência de Promoção da Igualdade da Igualdade Racial, e a Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE) em parceria com outros parceiros governamentais e não-governamentais.

Posted in Português.


0 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Anti-Spam by WP-SpamShield