Skip to content


Manifestantes negros protestam contra miscigenação racial em São Paulo

Manifestantes afirmam que “Miscigenação também é genocídio, durante a Marcha da Consciência Negra, no dia 20 de novembro, em São Paulo (SP)”. Imagem de vídeo institucional do PT.

A Marcha da Consciência Negra ocorrida em São Paulo (SP), no dia 20 de novembro, reuniu militantes de movimentos negros e outras personalidades de esquerda. Dentre palavras de ordem enfurecidas, bandeiras arrastadas e faixas coloridas, uma faixa amarela (cor do movimento mestiço) trazia uma mensagem agradaria qualquer racista branco: “Miscigenação também é genocídio”. O Ministério Público não se manifestou sobre o assunto.

A faixa foi destacada em vídeo institucional do PT, em apoio à manifestação. O PT defende a imposição da identidade negra a mestiços e a limpeza étnica de mestiços para a criação de bantustões indigenistas. Esta política também tem o apoio de outros partidos comunistas e fabianos e da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), entidade majoritariamente composta por brancos.

Durante os seus governos, Lula e Dilma promoveram políticas de criação e acirramento de conflitos raciais, étnicos e regionais no país.

Manifestantes da organização racista branca dos EUA, Ku Klux Klan (KKK), contrária a miscigenação racial, exibem faixa de protesto contra o “genocídio branco”.

Dizer que miscigenação é genocídio é uma das principais palavras de ordem de movimentos racistas brancos. A “acusação”, dentre outras, foi usada contra a abolição da escravidão nos EUA, pela propaganda nazista na Alemanha e pelos “arquitetos do Apartheid” sul-africano.

Proibição de casamentos interraciais

A Lei de Proibição de Casamentos Mistos [“Prohibition of Mixed Marriages Act” (Act No. 55 of 1949)] foi uma lei do Parlamento sul-africano que proibia casamentos entre “europeus” (pessoas brancas) e “não-europeus” .

Genocídio é crime, ou seja, é proibido. Ao dizerem que miscigenação é genocídio, estão incitando à proibição da miscigenação, como ocorreu nos Estados Unidos, no regime de Apartheid da África do Sul e na Alemanha nazista.

Índios, brancos portugueses e pretos promoveram a mestiçagem

Contrastando com os EUA, onde houve leis proibindo miscigenação racial, no Brasil casamentos entre índios e brancos foi promovido tanto por índios quanto por portugueses e pretos. O costume índio de promover casamentos de mulheres da tribo com pessoas de fora a fim de criar vínculos com estranhos recebeu a denominação de ‘cunhadismo’. Além das uniões espontâneas entre brancos portugueses a índias, o rei de Portugal, D. José I, incentivou oficialmente, em 1755, através do Diretório dos Índios, casamentos de portuguesas e portugueses com indígenas:

“Recomendo aos Diretores, que apliquem um incessante cuidado em facilitar, e promover pela sua parte os matrimônios entre os Brancos, e os Índios, para que por meio deste sagrado vínculo se acabe de extinguir totalmente aquela odiosíssima distinção, que as nações mais polidas do mundo abominaram sempre, como inimigo comum do seu verdadeiro, e fundamental estabelecimento.”

Os quilombos, muitas vezes localizados próximos à comunidades índias, também foram grandes centros de mestiçagem entre pretos e índias.

E o Ministério Público?

O Ministério Público brasileiro geralmente não investiga casos de discriminação contra mestiços, como costuma acontecer em casos de racismo contra pretos e índios. Não tem se manifestado em repetidos casos de racismo contra mestiços. Essa omissão e da mídia, que destaca o racismo real ou suposto contra pretos e índios, indica como o racismo contra os mestiços se institucionalizou.

Última atualização do texto: 28/11/2017, 01:08h.

Posted in Português.


20 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.

  1. Ana says

    Negros e negras se relacionam com brancos e brancas. E agora, parte ,se posiciona contra a miscigenação? Sei não, viu! Se o negócio continuar do jeito que está talvez seja preciso é pular deste país.

  2. Luciano says

    Sou negro, brasileiro e livre, me relaciono com a mulher que eu quiser e vice versa, nenhum africanista vai botar o dedo na minha cara e me dizer qual a cor da mulher com quem devo me relacionar, to pagando pra ver qual vai ser o africanista que vai conseguir me intimidar.

  3. Antônio says

    Que absurdo! E teve dinheiro público patrocinando este show de racismo?

  4. Willian says

    Uai???? O difícil vai ser descobrir quem não é miscigenado no Brasil.

  5. rodrigo says

    Hitler tbm era contra a miscigenação e tbm tinha um discurso de preservação da raça. Parabéns, vcs estão no caminho serto!

  6. Renato says

    Cada um é cada um. Meu se um casal inter racial se une qual o problema, agora eu gostar de uma moça branca não posso? Vai catar coquinho, quem pensa em preservação da própria raça é muito racista. Sentimentos valem muito mais.

  7. Emerson Eduardo Rodrigues says

    Eu apoio o movimento negro nessa.

    • Larissa Santos says

      Por que, Emerson? Tô perguntado sem julgamentos ou pré-conceitos, quero entender mesmo.

  8. Antônio Carlos Garcia says

    Que maluquice. Não seria essa ideia igual à dos nazistas esse dA raça negra pura o que preconiza esse movimento da “consciência negra”?

  9. Denis says

    Eu acho que cada um tem que ter o direito de promover e preservar sua raça, seja preto ou seja branco. Aliás, os japoneses e judeus, por exemplo, fazem isso o tempo todo sem ninguém encher o saco deles.
    De qualquer forma, os pretos ainda estão em vantagem, por que há mais de 1 bilhão de pretos no mundo. Jà os brancos estão em extinção, literalmente.

    • Arthur says

      na Europa na asia ainda existem muitos brancos.

  10. Glauco says

    Isto é ótimo para aqueles pardos que ficam renegando o que são aprenderem o desprezo que estes movimentos de orgulho de raça têm por eles. Ótimo artigo. Vou divulgar.

  11. Facundo says

    Pro racial, incluindo mestiço….rsrs essa foi boa..kkk. O próprio movimento se contradiz. As pessoas são livres, estão demonizando o ato de uma pessoa fazer o que for que ela quiser. Qual o problema em escolher alguém baseado em seu amor e não a raça? Esse estímulo fqz alguém a ser o próprio preconceito em pessoa, o que as próprias ditas raças julgam abominável ? O mundo está acabando e não me espanta mais nada…

  12. Direitos says

    Negros têm direito de se preservarem, já não basta serem marginalizados, agora precisam abrir mão de sua identidade pq alguns mestiços se doem por pouco? A história já provou várias vezes que impérios/nações muito misturadas terminam em violência, com vários povos entre si brigando por seu espaço.
    A causa mestiça de vocês é um fracasso exatamente por isso, não existe identidade num país mestiço, todo mundo pode claramente ver isso no Brasil. Essa causa só serve para atrapalhar os negros brasileiros de reconquistarem sua independência.
    Por muito tempo os negros foram obrigados a viver um estilo de vida branco, muitos mestiços nasceram devido aos estupros e isso afetou muito a identidade negra.
    O movimento negro não está pregando racismo contra mestiços, se trata de resgatar a herança negra.
    Não há nada de errado em ser mestiço, mas também não há nada de errado em existir movimentos contra a miscigenação.

    • Glauco says

      Para resgatar “herança negra” precisa dizer que miscigenação é genocídio? Conta outra.

    • Larissa Santos says

      Entendi teu ponto sobre preservação de identidade. Tu acha que se fala do passado ou do futuro nessa faixa?

    • Luciana says

      Poderiam todos entao pegar os navios e voltarem pra Africa.
      La nao teriam problema algum com miscigenação, mimimi com reparaçao com o qie fizeram no passado..
      Ha teriam sim: pq NUNCA SE ESQUEÇAM “nehros escravizavam negros e traziam para o Brasil em navios podres e imundos e VENDIAM para os brancos.
      Bem capaz de chegarem na Africa e quererem cobrar isso do governo de la.

    • rodrigo says

      Continue assim amiguinho e vc já poderá carregar uma suástica

  13. Rodolfo tanzine esteves Barbosa da Silva says

    Parabéns ao movimento negro que fez esta manifestação anti-miscigenação estão percebendo que o sistema querem destruí-los e os brancos através da mistura. Só digo para se prepararem pois agora o sistema vai perseguilos, pois já não estão mais a fazer o jogo deles. Gostaria de fazer um contato mais próximo com o grupo, pois eu dirijo um movimento pró racialismo chamado aliança nacional, nos apoiamos todas as manifestações culturais pró raça. Faço um convite a todos para juntos nesta luta construir um Brasil com preservação da diversidade, aliança nacional tem brancos negros e índios cablocos e mestiços mas somos totalmente pró preservação racial, deixo aqui nosso contato sh.
    Tel whatsapp: 21980356588

    • Glauco says

      Vejam só a quem interessa essa conversa contra miscigenação.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Anti-Spam by WP-SpamShield