Skip to content


Líder de ONG preta afirma que brancos são ‘sub-humanos’ e que pretos poderiam aniquilá-los

Yusra Khogali.

Declarações da líder e co-fundadora da organização canadense Black Lives Matter – Toronto, Yusra Khogali, exemplificam o ódio racial contido na política comunista e neoliberal contra a identidade mestiça. Em um post no Facebook, a mulata que se identifica como preta afirmou que os pretos são uma raça superior aos brancos porque estes possuiriam “defeitos genéticos” que os tornariam menos humanos.

De acordo com o jornal Toronto Sun,  a líder do Black Lives Matter (“Vidas Pretas Importam”, em tradução livre) teria afirmado:

“A branquitude não é humanxdade; de fato, a pele branca é sub-humanx”, escreveu ela. “Todos os fenótipos existem dentro da família preta e os brancos são principalmente um defeito genético da pretitude” (“Whiteness is not humxness, in fact, white skin is sub-humxn,” she wrote. “All phenotypes exist within the black family and white ppl are a genetic defect of blackness”).

Segundo sua teoria, as pessoas brancas seriam inferiores porque “[eles] têm uma maior concentração de inibidores enzimáticos que suprimem a produção de melanina. Eles são geneticamente deficientes porque melanina está presente no início da vida” (“[theyhave a higher concentration of enzyme inhibitors that suppress melanin production. They are genetically deficient because melanin is present at the inception of life”).

“A melanina permite que a pele preta capturar a luz e mantê-la em seu modo de memória que revela que a pretitude converte a luz em conhecimento. A melanina se comunica diretamente com a energia cósmica ” (“Melanin enables black skin to capture light and hold it in its memory mode which reveals that blackness converts light into knowledge. Melanin directly communicates with cosmic energy”), acrescentou.

Também segundo ela: “Os brancos principalmente são defeitos genéticos recessivos. Isso é fato” (“White ppl are recessive genetic defects. This is factual”).

A líder Black Lives Matter então se perguntou como a raça branca poderia ser eliminada. Segundo ela, “os pretos principalmente simplesmente através de seus genes dominantes podem literalmente destruir a raça branca, se tivéssemos o poder para fazê-lo” (“Black ppl simply through their dominant genes can literally wipe out the white race if we had the power to”).

Esta não seria a primeira explosão desse tipo de Yusra Khogali. Como líder do Black Lives Matter, recentemente apontou para o primeiro-ministro também esquerdista, Justin Trudeau, afirmando ser este “um terrorista supremacista branco“.

No Brasil

O pretismo (ou negrismo, no Brasil) também defende a superioridade da identidade preta (ou negra) sobre os mestiços. No Brasil é defendida pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e foi transformado em lei para fins do Estatuto da Igualdade Racial, que classifica pardos como negros.

Caboclos têm que “virar” negros para serem atendidos*

Em 2012, a ex-ministra da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), Luiza Bairros, em um programa de entrevista do governo Dilma Rousseff (PT), condicionou atender os caboclos (mestiços de índios e brancos) a estes identificarem-se como negros (vídeo).

Não é racismo quando um negro se insurge contra um branco

Em 2007, durante uma entrevista à BBC Brasil, outra ex-ministra da SEPPIR, Matilde Ribeiro, do governo Lula (PT), afirmou que considerava natural negro não desejar viver ou gostar de branco:

BBC Brasil – E no Brasil tem racismo também de negro contra branco, como nos Estados Unidos?

Matilde Ribeiro – Eu acho natural que tenha. Mas não é na mesma dimensão que nos Estados Unidos. Não é racismo quando um negro se insurge contra um branco. Racismo é quando uma maioria econômica, política ou numérica coíbe ou veta direitos de outros. A reação de um negro de não querer conviver com um branco, ou não gostar de um branco, eu acho uma reação natural, embora eu não esteja incitando isso. Não acho que seja uma coisa boa. Mas é natural que aconteça, porque quem foi açoitado a vida inteira não tem obrigação de gostar de quem o açoitou.

Durante seus 13 anos no poder, os governos petistas, com o apoio de outros grupos de esquerda e neoliberais globalistas, inclusive agências das Nações Unidas (ONU) e de governos da União Européia, incentivaram o isolamento racial racial e étnico, promovendo a criação de neoquilombos, “territórios brancos” e bantustões indigenistas.

*Este e os parágrafos seguintes adicionados em 14/02/2017.

Posted in Português, Pretismo | Negrismo, Racismo petista.

Tagged with .


2 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.

  1. Leão says

    Culpa DO PT sim, além de outros partidos comunistas e de esquerda e dos fisiologistas que faziam parte da base governamental. A lei é a Nº 12.288, DE 20 DE JULHO DE 2010, que instituiu o Estatuto da Igualdade Racial, sancionada pelo ex-presidente Lula – DO PT. O projeto de lei foi do senador Paulo Paim, negrista DO PT. A lei diz já no Art. 1o: “IV – população negra: o conjunto de pessoas que se autodeclaram pretas e pardas, conforme o quesito cor ou raça usado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ou que adotam autodefinição análoga;” O PT é um partido de ideologia racista – O PT É CONTRA MESTIÇAGEM E A FAVOR DE APARTHEID RACIAL E ÉTNICO. Esta mulher dessa notícia é um exemplo de como a esquerda fica alimentando racismo enquanto posa de anti-racista. Isto não é um caso isolado. O PT tem origem nestes movimentos globalistas.

  2. Anônimo says

    Tudo culpa do PT até parece quê um partido consegui aprovar sozinho a lei. Qual é um número da lei . essa menina é louca , no início do texto generalizar como todo mundo que comunista pensar igual dá pra ver que não deve levar a sério o que ela diz quando ela ataca alguém da esquerda obs: em todo lugar que enfia direita esquerda comunismo parece até guerra fria.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Anti-Spam by WP-SpamShield