Skip to content


Por que Samoa quer tornar claro que é um Estado cristão

O governo samoano quer acrescentar uma cláusula à Constituição que oficialmente define Samoa como uma nação cristã.

A Constituição samoana já faz referência ao Cristianismo na capa e preâmbulo, mas os líderes samoanos querem referenciar sua fé no corpo da Constituição.

“Toda vez que dissemos que Samoa está fundada em Deus porque está dentro da nossa Constituição, Deus deve ter dado uma boa risada e pensado que o temos enganado”, disse o primeiro-ministro Tuilaepa Sa’ilele Malielegaoi. “E faz mais de 50 anos que estamos enganando a Deus, porque isso não está no corpo de nossa Constituição.”

E acrescenta Tuilaepa: “A frase ‘Samoa é fundada em Deus’ não será mais usada, mas, sob a Constituição, será: ‘Samoa é uma nação cristã fundada por Deus Pai, Filho e Espírito Santo’.”

O parlamento samoano mostrou um amplo apoio a estas emendas.

Muitos estão se perguntando por que essa pequena nação de repente quer fazer uma declaração tão ousada.

Tuilaepa diz que é uma maneira de afastar guerras religiosas que invadiram outros países, principalmente no Oriente Médio e na África. Ele quer deixar claro que este é um país cristão e sua fé será parte integrante de sua lei.

Alguns estão preocupados que declarar Samoa como um país cristão vai minar as religiões e crenças de outras religiões. No entanto, Fonotoe Pierre Lauofo, membro de Anoamaa Wes, disse que a mudança não fará tal coisa.

“O projeto de lei não vai restringir outras denominações de suas práticas religiosas, nem restringi-los de entrar no país”, disse ele.

Outros argumentam que o projeto de lei não fará o suficiente para impedir que o terrorismo ou o fanatismo religioso entrem no país.

“Acredito que a emenda proposta é insuficiente, pois aparentemente não tem poder real para limitar a disseminação de denominações potencialmente fanáticas dentro do país”, disse o parlamentar Ali’imalemanu Alofa Tuuau.

Os parlamentares também disseram que declarar Samoa como uma nação cristã significa que ela não será influenciada por outras nações que podem pressioná-la a adotar idéias mais “progressistas” como os direitos dos homossexuais.

“Se nós ffazemos leis e projetos de lei, precisamos tomar decisões que reflitam que somos um país cristão”, disse um deputado. “Então, se outros países nos forçam a fazer leis que permitam o casamento entre pessoas do mesmo sexo, então temos que dizer não, porque isso não vai mostrar que somos um país cristão. Isso nunca acontecerá em Samoa”.

Traduzido de CBN News, 01/02/2017.

Posted in Português.


0 Responses

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Anti-Spam by WP-SpamShield