Skip to content


Zika, a nova arma contra mestiços

Reduzir a população mestiça, de pobres e de deficientes é um dos objetivos do abortismo desde sua origem. Com a associação noticiada entre casos de microcefalia e infecções pelo vírus Zika, acometendo especialmente regiões com predominância de população mestiça, como o Nordeste brasileiro, militantes abortistas já estão elaborando ação junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para ampliar as possibilidades legais de matar nascituros.

O grupo formado por advogados, antropólogos, e outros ativistas vê a interrupção de gestações como só um dos pontos de uma ação maior, focada na “garantia de direitos das mulheres”.

O ex-ministro da Saúde, José Gomes Temporão (PSB-RJ), diz que apoiará a ação pelo direito legal ao aborto de fetos com microcefalia, que deve ser levada ao STF nas próximas semanas.

“Me coloquei à disposição” – do grupo que levará a questão ao Judiciário – “e vamos continuar em contato”, diz Temporão, ministro entre 2007 e 2011, no segundo governo Lula.

Em 2004, o grupo de Diniz ingressou no STF como uma arguição de descumprimento de preceito fundamental para discutir no Supremo o que via como violações à Constituição pela não autorização do aborto em caso de fetos anencéfalos.
Oito anos depois, a corte determinou que nem mulheres, nem profissionais que realizam abortos nessa condição podem ser punidos. Essa foi a primeira vez na história em que o STF tomou decisão sobre saúde e direitos reprodutivos.

Em 2004, o grupo ingressou no STF como uma arguição de descumprimento de preceito fundamental para discutir no Supremo o que via como violações à Constituição pela não autorização do aborto em caso de fetos anencéfalos.

Oito anos depois, a corte, formada quase exclusivamente por juízes brancos e indicados por governos de esquerda, determinou que nem mulheres nem profissionais que realizam abortos nessa condição podem ser punidos. Essa foi a primeira vez na história em que o STF tomou decisão sobre o tema.

Com informações de G1, 03/02/2016, e BBC, 29/01/2016.

Posted in Abortismo, Eugenia, Mestiçofobia | Desmestiçagem, Português.


One Response

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.

  1. Lucas A Muraro says

    Voce vive em uma realidade paralela, procure um psicologo



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.

Anti-Spam by WP-SpamShield